Reinaldo Hoepers

B&N: Como é o trabalho de Maestro e de professor de música? Uma coisa é muito diferente da outra?

Reinaldo Hoepers: Bom, primeiramente um abraço aos leitores da B&N e obrigado pela oportunidade de falar um pouco sobre meu trabalho e minha vida.
Sobre minha profissão, que na verdade se multiplica em várias, não se pode resumir somente em Maestro e professor. Posso falar que todas tem me trazido muitas satisfação e muitas alegrias. Como professor a experiência com as crianças e adolescentes é sempre enriquecedora, pois elas nos ensinam muito mais, principalmente no que tange as dificuldades da vida, já que geralmente trabalhei em bairros de grande vulnerabilidade social, onde as crianças têm acesso fácil às drogas, violência, pobreza, entre outros. Isso traz pra nossa vida a gratidão constante pelo que temos.
O trabalho de Maestro é um pouco diferente, pois exige mais técnica e estudo constante, já que é uma área que está em constante evolução, e meus coralistas esperam sempre meu melhor.
Além disso, cito aqui minha outra profissão que, essa tanto quanto as outras me trazem muita coisa boa. Professor de técnica vocal. Conseguir acompanhara evolução das pessoas, a descoberta de conseguir cantar, a felicidade por se ouvir, não tem preço.

 

B&N: Em quanto tempo de treino/prática o aluno fica prontopara cantar em um coral em um nível considerado bom?

Reinaldo Hoepers: Isso pode variar muito de um para outro. Boa parte se sai muito bem e em um ou dois meses já está pronto para acompanhar o grupo. Outros podem levar mais de ano e outros ainda precisam de aulas particulares. Mas todos conseguem. Costumo dizer que somente alguém que não emite som nenhum não consegue cantar. Então, se você fala, pode cantar. Basta ter persistência.

B&N: Qual a sua dica para que o aluno perca a ansiedade inicial?

Reinaldo Hoepers: Existem várias formas. No coral costumo fazer algumas atividades que ajudam nesse sentido e em grupo fica mais fácil de soltar-se. O principal é que a pessoa saiba que é algo de bom e não tem nada de errado em fazer isso, cantar e se expressar. E o no mais é não se preocupar o que os outros vão pensar!! Se estiver fazendo bem pra você, o resto é resto!!

B&N:  Você optou por esta profissão ou foi um caminho natural.

Reinaldo Hoepers: Bem, ela meio que caiu no meu colo e não tive muita escolha senão encarar o desafio. Em 2006 ingressei no Coral Espírita de Criciúma. No início de 2007 nosso Maestro, Valdenir Zanette adoeceu e me pediram que eu o substituísse até sua recuperação. Minha experiência em Regência era Zero. Apenas um jovem metido que prestava atenção durante os ensaios. E infelizmente a doença levou nosso amado Valdenir, mais conhecido como Zé do Mato, ao desencarne em outubro daquele ano. Então assumi como titular. Desse momento comecei a buscar aperfeiçoamento para poder exercer um pouco melhor essa função.

 

B&N:  Você fez algum curso, antes, ou durante sua profissão?

Reinaldo Hoepers: Antes conhecia muitíssimo pouco de regência. Comecei então a buscar cursos de pequena duração, principalmente no RS onde a Cultura do Canto Coral é muito mais difundida que no nosso estado. Tornei-me Sócio da FECORS (Federação de coros do Rio Grande do Sul) e dessa forma obtinha descontos nos cursos, o que proporcionou oportunidades inclusive de minha esposa poder me acompanhar nos cursos. Então foram Laboratórios, Painéis de Regência, cursos de técnica vocal entre outros. Atualmente estou no último semestre de Licenciatura em Música e vou iniciar minha Pós em Educação Musical. Acredito muito que o estudo constante é de suma importância em qualquer profissão. Por isso, não paro!

 

B&N:  O que mais lhe agrada na sua profissão?

Reinaldo Hoepers: Com certeza a satisfação dos meus cantores. Porque há momentos que cantamos somente pra nós mesmos, na verdade muito mais, já que os ensaios não têm platéia. Então, se as pessoas estão felizes no ensaio, com certeza a apresentação será um sucesso! Além disso, quando dou aulas de técnica vocal individual, tenho muitos relatos emocionantes dos alunos nos momentos em que eles se descobrem cantando, ouvem a própria voz. Essa felicidade que, naquele momento é compartilhada comigo, não tem preço. É muito gratificante.

 

B&N: É mais fácil ensinar homem ou ensinar mulher?
Reinaldo Hoepers: Não tenho dificuldades com isso. Contornamos bem tudo que aparece. Porém creio que as mulheres têm um pouco de receio e vergonha no inicio. Depois passa. Também pode ser um pouco mais difícil pra elas porque meu modelo vocal é masculino, voz mais grave. Por isso no coral conto sempre com a colaboração da minha esposa Valuci para dar o modelo correto para as mulheres. Isso facilita, com certeza.

B&N:  Quais os resultados obtidos para quem contrata o seu trabalho?

Reinaldo Hoepers: Principalmente a satisfação de aprender a cantar. Quem canta desde criança e tem apoio dos familiares, parece ser algo natural. Mas tenho ou tive alguns alunos que só ouviam: “tu na presta pra cantar”, “vai tocar alguma coisa, porque cantar não é pra ti” ou “vai cantar lá fora porque meu ouvido não merece isso” ou coisa pior. E geralmente quando são crianças ou adolescentes. E nós nessa idade acreditamos fielmente no que os adultos nos falam. É um trabalho de formiguinha, mas o resultado é Gigante!!!

 

B&N: Alguma vantagem especial na sua profissão?

Reinaldo Hoepers: No meu caso é o fato de eu poder estar trabalhando com o que eu amo. Essa é, com certeza, uma enorme vantagem!

 

B&N: Como é o seu tempo para a família?

Reinaldo Hoepers: Já tive mais dificuldades com isso. Hoje, mais maduro, organizado, consigo equilibrar melhor as duas coisas. Lembro que em 2014 adoeci por conta do stress e muita pressão que eu mesmo exercia sobre mim, cobrando resultados e achando que podia fazer mais. Passada essa fase, minha esposa e eu com muitas boas conversas, traçamos nossas metas e, com objetivos tudo fica mais fácil de vislumbrar. Dessa forma hoje o equilíbrio se faz presente entre profissão e família. Estamos em paz.

 

B&N: Fora a sua profissão, qual sua maior paixão?

Reinaldo Hoepers: Em primeiro lugar, minha esposa. Se for falar em família, com certeza meus sobrinhos, amo demais. Além disso, gosto muito de cantar e tocar. E no esporte, sou apaixonado pelo Roller. Pratico sempre que posso e me dá muito prazer, além de ajudar na condição física.

 

B&N: Qual é o seu maior sonho, algo que você ainda não tenha realizado?

Reinaldo Hoepers: Creio que seja viver bem somente da musica. Sei que estou no caminho e gosto muito de dar aulas, principalmente se elas forem de musica. Mas não gostaria de ter que trabalhar a semana inteira, todos os dias e mais três, quatro ou até cinco noites por semana, como muitas vezes acontece. Fica meio desumano e eu corro o risco de não querer mais trabalhar com isso por conta do stress. Preciso gostar. Não fazer por obrigação. Mas eu chego lá!!!

 

B&N: Quais suas maiores conquistas nestes quase 10anos de profissão?

Reinaldo Hoepers: Muita coisa boa aconteceu durante esses anos que marcaram minha vida durante esse tempo. O Convite do Coral de Içara e do Coral Santa Bárbara para regê-los em 2012, a viagem que fizemos à Minas Gerais com o Coral Espírita em 2013, entre outras. Mas o que marcou História, sem dúvida,  foi a gravação e lançamento do Primeiro CD do Coral Espírita em setembro do ano passado e o Recital Brasilidades em Outubro do ano passado também. Foram as maiores conquistas que já obtive em minha curta carreira e que estarão para sempre guardadas em minha memoria e na memoria de todos que participaram. Foram momentos inesquecíveis!!
Tudo isso é importante e deve ser citado, mas tudo isso passa, o sucesso, a visibilidade. Mas o que não passa são os amigos que conheci nessa caminhada. Como diz a música,“não é sobre chegar ao topo do mundo e saber que venceu, é sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu”. E essa força vem dos amigos. Esses serão pra sempre minha maior conquista!

 

B&N: O que você projeta para o futuro?

Reinaldo Hoepers: Acho que falar no geral fica difícil, pois são grupos diferentes, com objetivos diferentes. E as ideias vão surgindo no decorrer do trabalho. Mas posso adiantar que, na ONG onde trabalho em Araranguá estamos preparando um Concerto didático sobre a Historia do Brasil. No Coral de Içara estamos trabalhando as musicas novas de Rock balada e anos 60, além de preparar a reapresentação do Brasilidades em maio. Na Associação Coral de Araranguá, a qual também sou regente, vamos fazer um repertorio em homenagem a Milton do Nascimento. E no Coral espirita já temos algumas viagens marcadas para divulgação do nosso CD. E individualmente, pretendo terminar minha Licenciatura, iniciar a Pós e não parar de estudar. E claro, viajar muito com minha pequena, que é nossa paixão conjunta!

 

B&N:  Gostaria de deixar alguma mensagem aos nossos leitores?
Reinaldo Hoepers: Que tenha objetivos. Pequenos, grandes, quase impossíveis, mas que não levem a vida por levar, não vivam a vida por viver. Todos nós merecemos muito mais que isso. Ela, a vida, é uma dádiva tão grande que precisa ser vivida intensamente!! Então busque algo que lhe dê prazer! Se for cuidar de animais, torne-se um voluntário. Se for ajudar alguém, visite um hospital, um asilo, um orfanato ou mesmo um vizinho que vive só. Não despreze um abraço em alguém, pois talvez seja a única coisa de bom que aquela pessoa vai receber nesse dia. Dê o devido valor à sua família. Trate todos da família bem, não só aos estranhos para você parecer bem na sociedade.
Ame intensamente como se não houvesse amanhã, até porque não sabemos se ele existirá, nem pra mim nem pra ninguém.
Porque no fim “a vida é trem bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir” (Ana Vilela)