Pilar

Ela Nasceu em Bogotá, capital da Colômbia, mas cresceu em Barranquilla. Decidiu participar do projeto da AISEC de intercâmbio com outros países, morou no Brasil, em Içara, ajudava nas aulas de espanhol na UNESC, enquanto aprendia a falar o português. Depois desta experiência, tomou gosto pela coisa e decidiu conhecer mais países, outras pessoas, outras culturas. Atualmente está na Índia e pretende, no próximo intercâmbio, conhecer os países do Caribe. Saiba mais sobre esta aventura, nas palavras de Pilar Viviane Moreno Murcia, um pouco de seu dia a dia e expectativas. Obs: a entrevista foi feita em inglês pois ela já está sentindo dificuldades de se expressar em português.

B&N: Quantos países já conheceu e quanto tempo ficou em cada um deles.?

Pilar: Eu estive em 6 países no total, Colômbia, Brasil (1 mês e meio), Aruba (10 dias), Londres (1 dia), Abu Dhabi (1 dia), Índia (9 meses até agora), Mês que vem estou viajando para a Tailândia (9 dias).

Pilar: I have been in 6 countries in total, Colombia, Brazil (1 month and a half), Aruba (10 days), London (1 day), Abu Dhabi (1 day), India (9 months so far), next month I’m traveling to Thailand (9 days). 

B&N: Como é a vida em seu pais de origem. Colombia.

Pilar: A vida no meu país, a Colômbia em geral é muito boa, paisagens incríveis, pessoas amáveis ​​e calorosas, felizes, barulhentas (dependendo de qual cidade você é), é limpo e especialmente algo que é muito conhecido no mundo inteiro, o fato de que os colombianos são muito trabalhadores. A vida é muito dinâmica lá.

Pilar: The life in my country, Colombia in general is pretty good, amazing landscapes, kind and warm people, happy, noisy (depending on which city you are), is clean and especially something that is very known worldwide, the fact that Colombians are very hard-working.  Life is very dynamic there. 

B&N: Como é viver no Brasil?

Pilar: Viver no Brasil para mim foi incrível, para mim é como uma cidade europeia na América do Sul, a arquitetura, as pessoas e especialmente a linda linguagem. De certa forma são muito mais aberto de espírito e liberais.

Pilar: To live in Brazil for me was amazing, for me is like a European city in south America, the architecture, the people, and especially the lovely language.  Pretty much more open minded and liberal in some way.  

B&N: Como é viver na índia?

Pilar:  Viver na Índia tem sido uma experiência incrível, eu mudei muito, aqui você se torna muito paciente como o ritmo da vida e tudo é muito diferente do que no ocidente. Em alguns momentos, no começo aqui, foi muito difícil, especialmente devido ao choque das culturas, o grande poder do homem, a dificuldade de encontrar boa carne aqui ou uma comida simples não tão picante. As pessoas aqui são gentis, mas ao mesmo tempo eu tenho notado que a maioria deles quer ser amigo de você só porque você é estrangeiro (também eles são obcecados com a pele clara), então por causa deste e outros comportamentos para mim eu não acho que eles sejam muito sinceros, ou pode ser apenas entre eles. Eu estou vivendo na cidade mais tradicional e conservadora da Índia, Chennai por isso aqui eu não posso usar shorts, camisas pequenas ou vestidos na rua (muito quente e úmido na maioria das vezes), ou é muito raro ver casais segurando as mãos. Amor aqui parece ser diferente do que para nós do ocidente, como mais de 90% dos casamentos são organizados. Mas depois de toda essa complexidade, a Índia é encantadora, uma experiência para a vida que certamente e amável vivê-la. Os indianos têm um grande coração, generosidade e humildade.

Pilar: To live in India has been an incredible experience, I have changed a lot, here you become very patient as the rhythm of life and everything is too different than in western.  In some point of this time I have been here, was very hard especially due to the shock of cultures, the great male empowerment and the difficulty to find good beef here or plain food not so spicy.  People here is kind but at the same time I have noticed that most of them want to be friend of you just because you are foreigner (also they are obsessed with fair skin), so because of this and other behaviors for me I don’t find them very sincere, or can be just between them.  I’m living in the most traditional and conservative city from India, Chennai so here I can’t wear shorts, small shirts or dresses in the street (very hot and humid most of the time), or is very rare to see couples holding hands.  Love here seems to be different than for us westerns, as more than 90% of the marriages are arranged.  But after all this complexity, India is charming, an experience for life that certainly love to live it. Indians have a big heart, generosity and humility.

 

B&N: O que você achou mais estranho na índia?

Pilar: Aqui na Índia muitas coisas são muito estranhas: A maioria deles comem com as mãos (sem garfo ou colher). Eles não usam papel higiênico, apenas água e mãos. Como eu disse antes, o amor é organizado dependendo de moldes (estratificação social para as pessoas hindus). Em Chennai, as meninas não bebem álcool, isso e muitas coisas ainda são um tabu, especialmente sexo. No início dessas experiências eu senti como viver nos anos 80 ou 90, os ônibus públicos, trens, infra-estrutura de alguma forma é muito velho, e em geral a Índia não é um país moderno, você ainda vê vacas, cabras, búfalos, elefantes na cidade que compartilha do espaço com seres humanos. É mais curioso que em frente a isso, a tecnologia aqui regula  tudo, transporte, pagamentos, reservas, etc. Muito avançado neste ponto, cada vez é menos comum para usar dinheiro para transações, por exemplo. Indianos movem a cabeça de uma forma curiosa, é semelhante ao que para nós no ocidente signifca não, então para os índios este movimento significa sim (muito difícil de obtê-lo e usado para ele).

Pilar: Here in India many things are very strange: Most of them, they eat with the hand (no fork or spoon). They don’t use toilet paper, just water and hands. As I said before, love is arranged depending on casts (social stratification for Hindu people). In Chennai, girls don’t drink alcohol, this and many things still are a taboo, especially sex. At the beginning of this experiences I felt like living in the 80’s or 90’s, the public buses, trains, infrastructure in some way is very old, and in general India is not a modern country, you still see cows, goats, buffalo, elephants in the city sharing space with humans.  Is more curious that opposite to this, the technology here rules everything, transport, payments, bookings, etc.  Very advanced in this point, every time is less common to use cash for transactions, for example. Indians move the head in a curious way, is similar than for us in western when you say no, so for Indians this movement means yes (very tough to get it and used to it).

B&N: Como é o seu trabalho?

Pilar: Estou trabalhando aqui em uma empresa de TI, um dos maiores serviços mundiais de consultoria (Tata). Meu trabalho é basicamente a supervisão e a coordenação dos técnicos e garantir que todas as ações tomadas se agregue ao trabalho realizado nas mesmas equipes localizadas no México e Espanha. Também apoio o trabalho de tradução (inglês-espanhol).

Pillar: I’m working here in a IT company, one of the biggest worldwide Tata Consultancy Services.  My job basically is supervision and coordination of the technicians and ensure that all the actions taken splice the work done in the same teams located in Mexico and Spain.  Also I support translation work (English-Spanish). 

 

B&N: Em quanto tempo de treino/prática você fica pronto?

Pilar: Atualmente estou fazendo um estágio, ele vai terminar em maio (contrato de 1 ano).

Pillar: Currently I’m doing an internship, it will finish by May (1 year contract).

 

B&N:  Qual a sua dica para que possa trabalhar e viver em um pais tão diferente?

Pilar: falar outras línguas é a grande dica e também ser aventureiro, de mente forte e aberta.

Pilar: speak other languages is the great clue and be adventurous, open minded and strong.

 

B&N: O que mais lhe agrada na sua profissão?

 Pilar: o que eu mais gosto da minha carreira é a psicologia para   gerenciar tudo, você pode vê-la no marketing, nas vendas, no RH, tudo é uma carreira humana. Meu foco é comercial, é muito dinâmico e empurra você a ter maiores sonhos e fazer mais esforço na realização de metas, é uma área muito competitiva.

Pilar: the most I like about my career is the psychology that manages inside, you can see it in marketing, sales, HR, a human career.  My focus is commercial, is very dynamic and push you to have biggest dreams and make more effort in achieving goals, is a very competitive area.

 

B&N: Fora a sua profissão, qual sua maior paixão?

Pilar: Eu gosto muito de esportes (surf, bodyboard, basquete, futebol) e viajar.

Pillar: I like a lot sports (surf, bodyboarding, basketball, football) and traveling.

 

B&N: Qual é o seu maior sonho, algo que você ainda não tenha realizado?

Pilar: Só continuar viajando pelo mundo.

Pilar: Just keep traveling around the world.

 

B&N: Quais suas maiores conquistas nesse quase um ano na india?

Pilar: a melhor coisa que esses 9 meses até agora na Índia me deixou, é a grande mudança que eu consegui em minha personalidade, fiquei mais paciente e tolerante.

Pilar: the best thing that this 9 months so far in India has left me, is the big change that I achieved in my character, I became more patient and tolerant.

 

B&N: O que você projeta para o futuro?

Pilar: Para o futuro até agora, em maio vou viajar para a França como a empresa vai pagar o bilhete de retorno completo para o meu país e eu tenho a opção de parar em um país europeu para o vôo de conexão. Para o próximo ano vou iniciar meus estudos MBA e meu próprio negócio e, claro, continuar viajando.

Pilar: For the future so far, by May I will travel to France as the company will pay the complete return ticket to my country and I have the chance to stop in one European country for the connection flight.  For Next year, start my MBA studies and my own business, and of course keep traveling.

 

B&N: Qual a receita para a Motivação?

Pilar: para manter-se motivado, é necessário estabelecer metas (diárias, mensais e anuais), para desfrutar o que você está fazendo, e ter relacionamentos de qualidade com a família e amigos.

Pillar: to keep motivated, is needed to establish goals (diary, monthly, annually), to enjoy what you are doing, and have quality relationships with family and friends.

 

B&N:  O que foi preciso abrir mão para conseguir chegar até aqui? Pilar: Eu saí do meu emprego permanente, deixei minha família e amigos. E perdi uma possível oportunidade de promoção. Depois deste tempo aqui, tudo isso vale a pena.

Pilar: I quit my permanent job, I left my family and friends.  And a possible incoming opportunity of promotion.  After this time here, all that worth it.

 

B&N: Qual foi sua primeira experiência profissional?

Pilar: Minhas primeiras experiências profissional foram em vendas, em lojas e de forma independente, por curtos períodos durante as férias quando eu estava estudando na universidade.

Pilar: my firsts professionals experiences were in sales, in shops and independently, for short times during vacations when I was studying at the university.

 

B&N: O que mais lhe agrada no seu dia a dia?

Pilar: Eu gosto de pequenas coisas, mesmo em algumas situações estressantes, especialmente quando você está no exterior. Eu gosto muito de compartilhar o tempo com meus colegas de trabalho no escritório, o ambiente não parece como em um local de trabalho, é muito aconchegante.

Pilar: I enjoy small things, even some stressful situations especially when you are abroad.  I like a lot to share time with my coworkers at the office, the environment doesn’t seem as in a work place, is very warm.

Aqui terminamos a entrevista com esta aventureira, carinhosa e simpática menina chamada Pillar, queremos deixar aqui nosso agradecimento a ela por ter sido tão receptiva ao projeto de entrevista do site e prontamente responder todas as perguntas. Esperamos que todos tenham gostado e vemos todos vocês na próxima entrevista.

https://facebook.com/pilsk8?__mref=message_bubble

Here we end the interview with this adventurous, affectionate and sympathetic girl named Pillar, we want to leave here our thanks to her for being so receptive to the interview project of the site and promptly answer all the questions. We hope everyone has enjoyed it and we’ll see you all in the next interview.