Alberto Romancini Texto n°3: “perguntas”

Crônicas de um eficiente físico.

Perguntas que pessoas inteligentes nunca fazem.

 

Nossa!! Você dirige? Como é que pode?

– Não. Meu pai é que dirige o carro, por controle remoto, lá de casa.

Você está sozinho? Quem te trouxe aqui?

– Minhas pernas. Minhas contas que se eu não pagar vou para o SPC.

Você consegue subir esta escada?

– Você me leva no colo? Se não eu subo andando mesmo.

Aquela mulher que passou de mãos dadas com você é tua irmã?

– Não, é tua filha e eu estou pegando.

Minha nossa! O que você tem?

– Dois braços, duas pernas e uma cabeça com duas orelhas.

O teu carro é normal?

– Não, ele tem banheiro, cozinha, área de serviço, fogão à lenha e churrasqueira.

Você sabe a senha de teu cartão?

– Meus parabéns! Que pergunta inteligente.

Você está tomando cerveja?

– E sério? Isto aqui é cerveja? Baah se tú não me falas…

Você é doente?

– Sim, sou, acabei de fugir da UTI do hospital.

Sua esposa é normal?

– Não, ela veio com uma antena parabólica acoplada.

Você consegue assinar?

– Claro, basta você me dar uma caneta.

Voce sabe assinar?

– Não, eu molho o polegar na língua e passo no papel.

 

Brincadeiras à parte, estas são perguntas que já me fizeram no meu dia a dia. É claro que não respondi dessa maneira, mas que dá vontade, dá.

Há ainda muitas pessoas preconceituosas, que se acham perfeitas, daí podem debochar e fazer comentários maldosos em cima das deficiências de pessoas diferentes, em todos os sentidos.

Esta doença, chamada preconceito, talvez um dia se encontre a cura, mas enquanto este dia não chega, Só há um remédio: Onde quer que você vá, levanta sua cabeca, se imponha, sinta-se igual a todos, domine o ambiente que você se encontra. Trate bem pessoas que te fazem bem, assim você consegue aliados para ajudar em teus projetos.

Vale muito ajudar quem realmente precisa e quer ser ajudado. Deus ou o destino, não te dá nada, é voce que vai em direção ao teu sonho e teu destino. O que ele te dá é sabedoria e fé.

Fé acima de tudo, ela te leva aonde você quiser. E é só querer.

Até a próxima.

pergunta a deficiente