A tartaruga tagarela Cristiano Marcello

A Tartaruga Tagarela

Era uma vez uma tartaruga que vivia num lago com dois patos e muito amigos. Ela adorava a companhia deles e conversava até cansar. A tartaruga gostava muito de falar e tinha sempre algo a dizer. Passaram muitos anos nesta feliz convivência, mas uma longa seca acabou por esvaziar o lago. Os dois patos viram que não podiam continuar morando ali, e resolveram voar para outra região mais úmida. E foram dizer adeus à tartaruga. – Oh, não, não me deixem! Suplicou a tartaruga. – Levem-me com vocês, senão eu morro! – Mas você não sabe voar! – disseram os patos. – Como é que vamos levá-la? – Levem-me com vocês! Eu quero ir com vocês! – gritava a tartaruga. Os patos ficaram com tanta pena que, por fim, tiveram uma ideia. – Pensamos num jeito que deve dar certo – disseram – se você conseguir ficar quieta um longo tempo. Cada um de nós vai morder uma das pontas de uma vara e você morde no meio. Assim, podemos voar bem alto, levando você conosco. Mas cuidado: lembre-se de não falar! Se abrir a boca, estará perdida. A tartaruga prometeu não dizer palavra, nem mexer a boca; estava agradecidíssima! Os patos trouxeram uma vara curta bem forte e morderam as pontas; a tartaruga abocanhou bem firme no meio. Então os patos alçaram vôo, suavemente, e foram-se embora levando a silenciosa carga. Quando passaram por cima das árvores, a tartaruga quis dizer: “Como estamos alto!” Mas lembrou-se de ficar quieta. Quando passaram pelo campanário da igreja, ela quis perguntar: “O que é aquilo que brilha tanto?” Mas lembrou-se a tempo de ficar calada. Quando passaram sobre a praça da aldeia, as pessoas olharam para cima, muito espantadas. – Olhem os patos carregando uma tartaruga! – gritavam. E todos correram para ver. A tartaruga bem quis dizer: “E o que é que vocês têm com isso?”; mas não disse nada. Ela escutou as pessoas dizendo: – Não é engraçado? Não é esquisito? Olhem! Vejam! E começou a ficar zangada; mas ficou de boca fechada. Depois, as pessoas começaram a rir: – Vocês já viram coisa mais ridícula? – zombavam. E aí a tartaruga não aguentou mais. Abriu a boca e gritou: – Fiquem quietos, seus bobalhões…! Mas, antes que terminasse, já estava caída no chão. E acabou-se a tartaruga tagarela. Esta fábula antiga resume bem a situação de muitos de nós. Há pessoas que não conseguem controlar suas palavras, e acabam se prejudicando. Seja no casamento, no relacionamento com colegas de trabalho ou amizades, pensar antes de falar é fundamental e garantia de uma vida mais leve e produtiva. Como você tem agido neste assunto? Tem controlado a língua ou fala demais? Pense nisso e siga em frente.

a tartaruga