A arte do improviso Cristiano Marcello

A arte do improviso

Se você gosta de filmes deve saber que antes de iniciar as filmagens é necessário um roteiro. Também mesmo os pintores renovados rabiscam suas pinturas com carvão antes de acrescentar as cores.

Claro que os artistas usam um pouco de improvisação, pois ela faz parte do show. Mas todo bom artista sabe mesclar muito bem uma pitada de improviso com seu roteiro. Acrescentando nuances que levam o público às risadas ou criam uma cor diferente.

Em uma peça de teatro, por exemplo, se o telefona toca, um bom ator inventa logo uma fala como se estivesse conversando com alguém, gerando alegria que suprime o incômodo de aparelho tocando. Mas na vida agimos de maneira diferente.

Vivemos uma vida sem roteiro, experimento as vitórias ou derrotas de cada dia. “Deixando a vida nos levar”, somos meros coadjuvantes e não protagonistas de nossa própria história.

Porque não ousar um pouco mais? Viajar para um país desconhecido, mudar do bairro onde nasceu e cresceu, construir novas amizades, um matricular-se em um curso? Experimentar um prato diferente, uma nova receita, novos caminhos.

Hoje proponho a você um pequeno exercício. Tome uma folha em branco e algo para escrever. Coloque seu maior sonho e três objetivos factíveis, com datas de quando pretende alcançá-los, é claro.

Escreva um para curto prazo (até o fim do ano?), um para o ano que vem e outro para três ou cinco anos.  Seu maior medo quando estiver escrevendo será: “- Mas e se chegar eu dia eu não tiver alcançado?”. Neste caso você improvisa. Coloca uma nova data e segue em frente.

O que proponho é que você saiba aonde quer chegar, tenha objetivos. Viva por seus sonhos. Não precisa criar uma planilha em Excel, mas faça o exercício. Se você escrever nada, só o fato de ter parado para pensar, já fez valer a pena esta leitura e me fez ganhar o dia.

Desejo-lhe sucesso e muitas conquistas.

Cristiano de Souza Marcello

a arte do improviso